Síndrome do Impostor

“Todo mundo aqui é melhor que eu”.

É bem capaz que esta frase já tenha passado pela sua cabeça, e a não ser que você sofra do mal de Dunning – Kruger, isso é mais normal do que aparenta.

Estudos apontam (Gail, Matthews) que boa parte das pessoas bem sucedidas sofrem deste mal, o número é impressionante, e chega a quase 70%.

O que seria uma pessoa bem sucedida? Não apenas aquelas em cargos altos, mas qualquer pessoa com uma vida estável, com um emprego fixo e uma renda todo mês já eram apontadas no estudo. A tal síndrome do impostor, ataca de uma forma bem simples, a pessoa remete seu sucesso sempre a elementos como sorte, acaso, e dificilmente conseguem ver isso como uma verdadeira conquista.

Segundo Valerie Young, especialista no assunto, a síndrome do impostor está diretamente ligada a vida adulta, e é algo bem exposto nas últimas trinta décadas. Coisas como um elogio são facilmente esquecidas, enquanto qualquer critica será pesada por um longo tempo para qualquer um que sofra deste mal.

Se sentir uma fraude, ou não merecedor, faz a pessoa simplesmente deixar de se valorizar, e isso pode muitas vezes fugir do meio de trabalho até diretamente a parte pessoal. No início dos anos 2000, boa parte das pesquisas atribuíam essa síndrome muito mais propensa as mulheres, porém, os estudos recentes começaram a abandonar esta hipótese e hoje é de comum acordo aos estudiosos que não importa muito o gênero. Se sentir uma fraude ou não merecedor é muito normal, cabe a nós diminuirmos as expectativas da nossa volta, e nos valorizarmos. Alguns artistas famosos como Emma Watson e Kate Winslet já admitiram ter esta mesma síndrome, e isso nos mostra que muitas vezes não é diretamente ligado a algum fator pequeno.

Alguns elementos são bem comuns em quem possui a síndrome:

 

  • Auto Sabotagem

Começar a colocar as pedras na frente do seu próprio caminho é um claro caso de ter pelo menos um resquício. “Esta tarefa eu não consigo realizar” sem nem ao menos ter começado, é algo que futuramente o fará ter estes pensamentos. Isso também é diretamente ligado a procrastinação. Ou simplesmente o ato do “deixar para depois”.

  • Imagem Pessoal

Muitos se utilizam da sua imagem, ou abusam de um carisma para conseguir aprovações, a partir do momento em que qualquer elogio vem, a pessoa ligará rapidamente ao fato de ter essa boa imagem, e nunca a seus próprios feitos.

  • Trabalhar demais ou trabalhar de menos

Esses dois são diretamente ligados a síndrome, o primeiro vem justamente deste sentimento de nunca estar bem, seguir o perfeccionismo é um grande mal, muitas vezes algo simples acaba se tornando algo gigantesco. O trabalhar de menos é um grande perigo, pois o destaque de suas habilidades começam a desaparecer gradativamente até que se convença de uma vez por todas que não tem um talento.

Entendi tudo até agora William, mas como faço para combater esta síndrome?

Existem muitos exercícios que podem ser feitos diariamente. Vou listar alguns:

Auto Estima

Diretamente ligada ao ser, essa busca pela melhora da auto estima é tudo no combate deste mal. Exercícios períodicos não auxiliam apenas sua saúde física, mas também a sua mental. Olhar no espelho e acreditar em você vai muito além de ler um livro de auto ajuda, vai do seu próprio conhecer, ver suas habilidades e reconhecer seus pontos fortes.

Falhe

Falhe, cometa erros, pergunte, questione.  Esqueça o perfeito, faça o seu melhor sempre, mas não necessariamente entregue a perfeição. O que é perfeito para você, pode não ser o perfeito para o outrem, e isso muitas vezes pode te desanimar.

Procure um Profissional

Se você sentir que isso está muito forte dentro de você, procure um especialista. Ninguém é de ferro, e em diversos momentos da vida precisamos de ajuda, a síndrome não pode evoluir, por isso controle-a!

Se reorganize

Planejar o seu dia calmamente vai ajudar muito, saber o que você consegue fazer diminui em muito a ansiedade e a expectativa, deixando você mais produtivo e entregando o necessário.

E é claro, é impossível abranger tudo, mas você pode ler muito mais sobre o assunto. Abaixo, um pequeno material para tirar dúvidas ou quem sabe para você se aprofundar mais ainda nisso:

Livro de Valerie Young

Podcast em Português

Blog com informações

Livro para compra em português

 

Comments

comments